O drama, a tragédia, o horror... os atacadores desapertaram!


O volume da barriguita começa a pregar-me algumas partidas, e uma delas é de chorar a rir...sem muita piada para a protagonista! E percebo agora porque se chamam atacadores, porque para as grávidas, quando estes se desatam em locais pouco simpáticos, atacam com dores! Bichos-feios!

Em casa, já tenho o meu banco domesticado para me auxiliar, e de que forma? Pisando-o e esticando os bracinhos de modo a fazer um nó, aliás, nó duplo! E aqui começou o drama porque o nó duplo foi esquecido, ficando-me pelo simples...e assim fui para o treino de 3ª-feira, para mais 40 minutos de corrida a um ritmo cada vez mais moderado. E aproveitar também que o dia estava simpático e por sorte não chovia na hora de ir correr!

E passo atrás de passo até me encontrar sozinha a correr (devia ser por causa da minha actual velocidade estonteante!) até que o atacador desatou-se! TRAGÉDIA! E agora?

Opções:

a)    Continuar a correr assim

b)    Pedir auxílio

c)    Procurar um banco ou um passeio alto para pousar o pé

d)    Soltar palavrões até que por magia se atem sozinhos


Sim, acertaram! Optei pela opção mais lógica. Caminhei até encontrar um pouso mais alto para colocar o pé! Não podia correr com o atacador desatado, pedir ajuda a uma pessoa para me atar as sapatilhas...NUNCA!!! (a vergonha!). Então lá consegui por o pé na rede do campo de futebol e chegar ao pé!

Tirando este percalço tudo correu muito bem! Mais umas míseras calorias perdidas mas com o sentimento de dever cumprido!

Venham mais treinos para pôr a minha princesa na linha! Mas para a próxima, com duplo ou triplo nó!


Visão de Outsider da Rock'n Roll Maratona de Lisboa EDP!


A Maratona chegou e este ano nem meia maratona nem maratona! Acompanhei todos os treinos que consegui (a maioria) e senti todas as ansiedades e vitórias dos atletas!

A vitória do meu vicente Pedro foi o meu maior orgulho ou não tivesse acompanhado os treinos árduos e incentivos (aqueles folhados de maçã quentinhos do Lidl faziam-no correr mais depressa nos treinos!).

Este ano tive a sorte de ser repórter e de acompanhar os atletas da maratona desde a partida. Um ambiente incrível, uns demonstravam mais nervosismo que outros, mas o ambiente estava animado no hipódromo de cascais. Ver tantos estrangeiros a querer participar na nossa Maratona faz-nos pensar que Portugal, e neste caso Lisboa, é de facto sublime e de uma beleza inigualável e que vale a pena fazer esta prova!


A partida deu-se às 8h30 e após o tiro lá foram eles, cada um ao seu ritmo, na expectativa de cumprir o plano traçado. Acompanhei de perto os quenianos que iam com uma passada digna de ser vista. Correr a 20km/hora durante 42,195km é impressionante!

A vista do percurso é realmente magnífica! Os abastecimentos pareciam todos bem organizados, com bastantes voluntários e nalguns deles os atletas podiam encontrar sólidos e bebidas energéticas de forma a dar energia para correrem mais uns quilómetros.

Confesso que após duas horas de prova começava a ficar preocupada! Será que o meu Pedrocas consegue ou não, estará ele a sentir-se bem...tanta coisa passa pela cabeça quando se está do outro lado e tem que se esperar! Afinal o primeiro já acabou (em "apenas" 2:08:21)!

Ainda cheguei a tempo de conseguir fotografar alguns atletas da meia maratona que me contagiaram pela boa disposição. Em grupo, ou individualmente, lá foram passando por mim cheios de sorrisos e ainda tive direito a um "é aquela senhora grávida que corre!". Soberbo!

Passado pouco tempo os atletas da mini já estavam a chegar e a concluir a prova.

Os da maratona foram chegando de forma faseada até que o meu Vicente apareceu e pude puxar por ele nos últimos metros! 

 Foi uma sensação magnífica poder dar aquele último fôlego nos últimos metros da sua primeira grande estreia na Maratona Rock'n Roll de Lisboa!

A todos os Atletas parabéns por terem a coragem de correr tantos quilómetros!


 


 Treinar...não é só correr!


Com a chuva a aparecer quando menos se espera e a ficar de noite cada vez mais cedo torna-se difícil correr 3 vezes por semana...mas como para quase tudo existem soluções, nada melhor que arranjar alternativas!

Com umas breves pesquisas no youtube encontrei Pilates para grávidas! Na muche! Pois bem, confesso que tem com cada exercício que me pergunto se serei capaz de os fazer, uma vez que a barriguinha já tem algum tamanho...mas se a instrutora os faz e tem uma barriga maior que a minha, porque não?!

É sempre bom conseguir complementar a corrida com outro desporto. Eu optei por Pilates para grávidas, uma vez que ajuda a alongar e a fortalecer a musculatura, principalmente a do abdômen, glúteos e parte inferior das costas (esta é considerada o centro de força do corpo e responsável pela sustentação da coluna vertebral, por isso há que cuidar dela!).

O reforço da musculatura tem várias vantagens sendo duas delas, na minha opinião, muito importantes: na hora do parto ajuda-nos, porque temos de fazer um trabalho de força através da pressão abdominal e no momento final o períneo que foi "treinado" durante as aulas vai relaxar, havendo uma passagem menos dolorosa e supostamente mais rápida da criança. A outra grande vantagem é a recuperação, já que nos ajuda a ficar em forma mais rapidamente!

O material usado é só a minha bola de ginástica, o tapete para não estar deitada diretamente no chão e os elásticos para ajudar a criar mais estabilidade do quadril. Nada de pesos desnecessários. Uma hora de exercício e alongamentos e estou quase como nova, e sim, cansa, deveras!

Duas corridas semanais e pelo menos uma aula de Pilates para grávidas por semana, permite-me continuar a ter um estilo de vida activo e acho que me vai ajudar imenso a manter uma gravidez saudável e também no pós-parto!

Parar? Nunca!