Olá a todos de novo.

Ora vamos lá acabar com a época 2014/15 com a Meia Maratona de Guimarães.

26 de Junho.

Tal como na última corrida, também fui de comboio.

Cheguei lá eram umas 21h e para minha sorte encontrei pertíssimo da estação um restaurante, que apesar de não ser vegetariano, tinha alguns pratos do género.

Pedi uma Francesinha Vegetariana.

Há quem diga...


- Isso não é uma Francesinha, tem de levar carne !!!!


Who cares... Comi e estava bem boa.

Na minha opinião, a Francesinha é como os Caracóis, o segredo está no molho.

A caminho da pensão passei pelo centro de Guimarães. Não sei se havia algo de especial a decorrer na cidade, mas estava muita gente na rua, muito comercio aberto, vários edifícios iluminados etc..

Nunca tinha estado em Guimarães, e a primeira impressão foi excelente.

Fiquei hospedado numa pensão que era de cariz Católico.

Pelo que me pareceu, era um antigo internato para jovens que queriam ser padres.

Junto à cama havia uma espécie de rádio antigo embutido na parede, e pelos botões dava toda a ideia que passava missas, rezas etc..

Na pensão quase tudo correu mal.

Cheguei lá, e fiquei uns 15min à espera que a senhora da pensão me deixasse entrar no quarto.

Estava a tentar resolver como é que um carro lá da garagem sairia, pois havia um problema com a cancela. Coisa que tinha toda a ideia que só ia lá com assistência técnica.

E eu à espera para ir dormir depois de uma longa viagem.

Depois esqueceu-se de tirar da recepção os comandos da tv e ar condicionado.

Disse que também não era necessário, depois perguntou...


- Quer pagar agora ou amanhã?

- É como quiser...

- Então fica para amanhã.


Lá subi e fui-me deitar.

Tinha de ir levantar o dorsal às 7 da manhã.

Não sabia ainda onde levantar, sabia o nome do local mas não onde era.

E ainda tinha de ter tempo de comer algo antes da corrida.

Sai da pensão. As portas eram de vidro e abriam com um sensor.

Lá fui procurando pelo centro da cidade, perguntando, e lá apareceram umas setas a indicar o caminho.

Cheguei lá mesmo às 7, estavam ainda a ligar os computadores.

Recebi o kit e voltei para a pensão.

Cheguei à porta e a porta não abria.

Só havia sensor do lado de dentro...


- Será que toco à campainha? Espero?


Ainda pensei enviar algum papel entre as portas, mas elas estavam juntam com uma borracha forte de um lado e outro, e um papel não tinha força para furar.

Toquei.... esperei... toquei... esperei...

Olhei para o chão em redor e lá vi uma tira fina de madeira, a tira conseguiu furar a borracha

Abanei a tira e lá abriu a porta.

Entrei e acenei um olá às câmaras de segurança.

Equipe-me e lá voltei à rua. Escondi a tira de madeira perto, poderia ser útil de novo.

Tomei o pequeno-almoço e segui para a zona da partida.

Junto à partida estava também o Nuno André e ficámos um pouco à conversa.

Passado algum tempo fomos aquecer.

A prova começava às 10h. Estava um calor enorme já a essa hora.

Consegui ficar bastante perto das primeiras filas.

Não tinha a mínima ideia como era o percurso...

Já era tempo de começar a pensar em olhar como deve ser para os percursos antes de os ir fazer eh eh eh.

10h Partida.

E  arrancámos, a partida era, presumo eu, na principal avenida de Guimarães.

Os primeiros km foram feitos andando às voltas por várias zonas da cidade.

A primeira coisa que achei curioso, e de valor, era a presença massiva de pessoas na rua a apoiar os atletas.

Demos várias voltas, tanto pelas ruas principais, como por ruelas muito giras.

Infelizmente, apesar de ser muito giro correr nas ruelas, o piso era empedrado.

No centro de cada ruela havia uma pedra lisa ao comprido e naturalmente todos nós começámos a correr em fila indiana.

Os primeiros km foram todos feitos nas redondezas, passando pelo Castelo de Guimarães.

Este início não estava a ser nada fácil, o percurso era feito com bastantes subidas.

Ao sair do centro da cidade, a corrida começou a ficar mais monótona.

A corrida passava para estradas nacionais, sem grande coisa para ver à volta.

As excepções a isso foram o Pavilhão Multiusos de Guimarães e o Parque da Cidade Desportiva.

Ambos cercados por bastantes árvores e ruas bem arranjadas.

Apesar de estas zonas não serem aos altos de baixos de algumas ruas de Guimarães, havia bastantes subidas com alguma inclinação, mas bem longas.

Por volta dos km 12/15 estava-me a sentir bastante cansado.

Era o acumulado de muitas subidas, mas acima de tudo o calor enorme que estava nesse dia.




Eu nem costumo lançar água para cima de mim, mas naquele dia em quase todos os abastecimentos, bebia um pouco e o resto era pela cabeça abaixo.

Para perto do final estava guardada uma surpresa. Surpresa, pois não tinha visto o percurso.

Durante muitos anos acompanhei o meu clube de futebol aos estádios, perdesse ou ganhasse, jogassem bem ou mal, eu estáva lá. E muitas vezes ia ver jogos fora.

Conheci todos os estádios do Euro excepto o de Guimarães

Comecei a ouvir música aos altos berros e o som de gente a aplaudir e a fazer barulho.

Quando dei conta, o som vinha do interior do estádio. Para meu gáudio percebi que ia entrar no interior do estádio.

E lá entrei.

Pena foi que o som do público era de música que estava a passar.

Ou seja, o estádio estava às moscas ah ah ah.

Demos duma volta ao relvado, voltámos à estrada.

Pouco depois estávamos a atravessar a meta.

Tempo total : 1:30:12.

Acabei bastante cansado e ao ver o tempo fiquei bastante contente pois achava que ia ser bem pior. O que safou o tempo, foi um início forte na corrida pois do meio para a frente custou bastante.


No computo geral gostei bastante da prova.

Para o ano penso voltar.

 

E assim se encerra a época 2014/15.