Olá a todos ;)

Desde já um grande 2017 para todos, cheio de provas, novos recordes mas acima de tudo, cheio de saúde para corrermos.

Este ano comecei a correr fora de Portugal... Continental claro está, fui à Madeira para correr umas das suas Meias Maratonas.

Esta prova engloba também uma Mini Maratona (5850m) e a Maratona.

No dia anterior fomos levantar o dorsal para a prova. Havia alguma esperança de haver alguma feira da prova, visto ser anunciada como Maratona internacional.

O local para se levantar os dorsais era numa sala que pertencia a um hotel.

Chegados lá, estavam 3 pessoas da organização com os seus pc's para controlar os pedidos dos dorsais mas nada de feira.


Os dorsais dividiam-se por cores.

Verde - 42km / Azul - 21km / Laranja Mini

Lá levantei o kit e para além da t-shirt da prova oficial, de cor branca, vinha também um pequeno Bolo de Mel e uma garrafinha de Vinho da Madeira.

Estávamos instalados perto da zona da meta, daí ter perguntado qual seria a melhor maneira de me deslocar para a partida.

Disseram-me para apanhar o autocarro 1, 2 ou 4 da empresa "Horários do Funchal" e indicaram o local onde o apanhar.

Ok então até amanhã.


No dia seguinte quando ia a pé para a paragem do autocarro encontro o Nuno André que já por lá andava à procura do mesmo.

Disse-lhe que sabia onde era e lá fomos... Onde eu pensava que era afinal não era, um motorista indicou onde era a "paragem".

E lá fomos, ficava numa subida bastaste íngreme.

Estávamos na conversa à medida que íamos subindo, passámos por um grupo de pessoas que também tinham pinta de corredores mas elas estavam em frente a um autocarro com um número que não os que me tinham falado.

Seguimos em frente à procura da tal paragem, passado pouco tempo olhei para trás e vi isto...

De uma carrinha saíram uns homens com um varão de metal, e aproximaram-se de onde estava o grupo de pessoas.

Ficámos a olhar para aquilo e lá estavam eles a prenderem o varão a um pilarete do passeio, e no varão uma placa a dizer paragem de autocarro...

Está certo. Não encontrávamos a "paragem" porque ainda estava a ser "construída"...

Bom... fomos para lá esperar o autocarro e lá seguimos depois.

Durante a viagem vimos alguns corredores da Maratona já em acção, a sua prova tinha começado pelas 8:30.

Ao sair do autocarro ainda fizemos um pequeno caminho a pé e lá chegámos à partida.

A partida, para quem conhece o Funchal, ficava junto ao Forum Madeira (Lido).

Lá encontrámos mais Vicentes, o António Iria e a Sandra Baptista ;)


Passado pouco tempo lá me pus a aquecer ali ao pé, à medida que ia aquecendo sentia as coxas um pouco presas, coisa que senti durante bastante tempo durante a prova.

Entretanto ia vendo a malta da Maratona a passar por mim e a pensar que dai a um mês era eu na mesma situação.

Fui deixar junto no bengaleiro da prova o meu saco com algumas coisas que queria ter no fim da prova.

No kit, vinha um dorsal igual ao da prova mas sem chip, para colocar no saco de modo a no fim se identificar qual o saco de cada um.

Os da Mini partiam às 10h e a Meia às 10:05, mas pela partida estava ainda a passar malta da Maratona.

Então o que estava programado foi deixar um corredor do lado esquerdo no sentido da corrida livre para os atletas da maratona e o pessoal da Mini e Meia encostavam-se do lado direito.

Não senti que estivéssemos ficado apertados, foi sem problema.

Pelas 10h partida para o pessoal da Mini e lá fomos nós para a zona da partida.

A primeira parte da prova eram 2 grandes voltas por aqueles lados.

E pelas 10:05 lá se deu a partida.


A primeira coisa que reparei foi nas várias placas de km, havia placas bem grandes para a Mini, 21km e 42km.

Cada placa dizia o seu km e a que prova correspondia, mas aquilo soava estranho pois via uma placa de 1km, pouco depois uma de 5km, logo a seguir uma de 13km (números hipotéticos, não me recordo agora mesmo os números que vi ao certo) .

Não baralhava pois estava claro para que prova se destinava, apenas nunca tinha visto algo do género.

O que fez confusão foram os abastecimentos. Eu estou habituado a ter abastecimentos aos 5, 10, 15 e 20km.

Mas dei conta de abastecimentos que não batiam com os km a que estou habituado, claro que isto era por causa das 3 distâncias no mesmo local, mas ficava sempre na dúvida...

"Epah não estava já à espera deste abastecimento, bebo agora ou espero pela altura que estou habituado ? E se não houver esse ?"

Isso sim fez-me um pouco de confusão. Para meu azar, a tampa que levo sempre para colocar na garrafa não era compatível, algo que só me tinha acontecido 1 vez.

Quase nunca consegui impor o ritmo que queria na casa dos 4:08/4:12.

É certo que a prova tem muitas subidas e descidas, mas sentia as coxas presas e isso sinto que foi o que me impediu de fazer melhor.

Durante a prova ia olhando um pouco a paisagem, os primeiros 12km foram feitos em 2 voltas numa zona relativamente perto do mar mas a uma cota superior da marginal.


Durante este percurso, um homem ao me ver gritou "Força Vicente !"... Malta, até na Madeira temos apoio :)

Uma coisa que não gostei nada ainda na primeira volta, foi o facto de corrermos numa rua em que só tinha estrada no sentido de quem já vinha a regressar (malta da Maratona neste momento).

Ou seja quem ia no meu sentido tinha de correr numa ciclovia. Assim à partida não é mau, o piso da ciclovia é bom, o problema é que ainda íamos muito juntos (pessoal da Meia) e nessa altura começámos a apanhar o pessoal da Mini.

Então demos todos com aquela questão de ter de abrandar de modo a esperar por uma aberta e lá poder passar.

Não foi bom para quem queria ultrapassar e não conseguia, nem era bom para o pessoal da Mini que se sentiam como se fossem um obstáculo.

Creio que a coisa ter-se-ia sido resolvida se os da Mini tivessem partido pelas 9:30 e nós às 10h. Mas talvez houvesse uma razão que desconheço para a partida quase em conjunto.

Aqui dá para ver o espaço que havia...


Lá demos as 2 voltinhas, a subir e a descer.

O resto da prova passava-se em parte na marginal do Funchal e na baixa da cidade.

Para chegar lá fizemos uma descida... descida... mais parecia que estávamos numa montanha russa e gritamos com a descida que lá vem, esta era a descida da "paragem".

Ainda bem que só a descemos, pois se fosse ao contrário ui ui.

Depois desta descida passava-se por uma rotunda e lá vinha mais uma descida e então aí sim chegávamos à marginal.

Aqui já estávamos perto do pórtico da "meta" e muita gente se juntou lá.

Passei pela "meta" do outro lado da estrada e lá ao fundo estava um retorno, aqui havia uma coisa curiosa.

Na verdade não era um retorno eram dois. Um para a Maratona e outro para a Meia e creio que os da Mini também.

Mas estavam separado por uns 3 ou 4 metros. Então estava num retorno um rapaz da organização a dizer "Pessoal da Maratona aqui" e atrás dele um outro a dizer "Pessoal da Meia por aqui".

Pouco depois do retorno vejo do outro lado da prova um rapaz com um t-shirt sem mangas preta a correr a toda a velocidade e pensei "Epah este de repente ficou cheio de depressa". E passado um pouco passou por mim que nem uma flecha.

Só uns dias depois ao procurar fotos para esta crónica é que percebi que ele foi o vencedor e que já ia acabar a prova

E ia eu ainda para a 2º volta...

Lá passei pela "meta" e reparei que à direita havia um caminho balizado por vedações, não vi naquele momento ninguém entrar lá.

Eu tinha andado a ver o mapa da prova e tinha ficado com a ideia que a meta era por aí. Já não é a primeira vez que depois de estudar o percurso me dou mal. É raro fazer isto, mas as hipóteses pelos vistos não me favorecem.

Lá segui em frente como toda a gente... 


Passado uns 10min deu-me uma pontada na barriga do lado esquerdo, uma coisa que nunca tinha sentido, abrandei quase ao ponto de parar.

Ao fim de uns 15 seg da pontada desapareceu e nunca mais voltei a ter. É claro que aqueles 15 seg pareceram uma eternidade e pensei "Queres ver que vou ter de desistir ?"

Lá voltei a correr sempre em frente junto ao oceano, aqui sim era tudo plano, até que enfim.

Pouco depois contornávamos a Praça da Autonomia e entrávamos para a baixa.

O piso aqui mudava, passava de alcatrão para um empedrado rectangular. Piso ainda aceitável, mas ao chegar mesmo ao centro o piso piorava muito. Era tão mau que perto do retorno ia torcendo o tornozelo, apanhei cá um cagaço.

Fui a olhar para o chão o tempo todo de modo a evitar uma outra surpresa.

Depois disto era voltar até à meta e tornar a fazer mais uma volta.

Feita a primeira volta passo pela segunda vez pela "meta" e olho de novo para a tal saída à direita, não dei conta de alguém entrar.

Mas no meio de tanta gente era complicado e o cansaço também não ajuda muito a discernir as coisas.

E lá segui para fazer a segunda volta que correu na normalidade, no último km da prova uma senhora do topo de um viaduto gritou "Força Correr Lisboa !" :).

Lá fiz a voltinha no último retorno, e olho para o relógio.

O relógio indicava 20.9km, olhei em frente e lá estava o pórtico da "meta"...

Digam lá... Tinham ou não tinham saudade de uma "Cena à Vasco" ?

O relógio dizia-me que faltavam uns 300m, e realmente a essa distância creio eu, estava o tal pórtico.

Mas das duas vezes que lá passei nunca cheguei a ver algo a dizer Meta, então a uns 100m comecei a berrar.

"Onde é que é a meta ?" , "Onde é que é a meta ?".

Barulho do pessoal a apoiar, montes de gente ainda a correr ali ao meu lado deu no que deu.

Passei a meta e não parei, e continuei a berrar "Onde é que é a meta ?".


Vi a tal curva à direita mas sentia-me perdido.

Parei o relógio aos 21.360. Voltei para trás a pensar cobras e lagartos...


Passado um pouco veio um rapaz da organização.

"Então o que se passou ?" , "Afinal onde é que é a meta ? Nada no pórtico o indica."

"Então é o pórtico." , "Mas não diz lá nada."

"Sim mas está lá o pórtico e os tapetes.", "Ok mas essa informação tem de ser clara, já passei por outros pórticos e tapetes e não era lá a meta."

O rapaz da organização continuava com a história mas está lá o pórtico. Também me disse que estava um relógio do lado direito.

Não o vi em nenhuma das 3 passagens, já algumas vezes escrevi isto, tudo tem de estar claro nas provas.

Então no fim ainda mais, uma pessoa está cansada e não tem discernimento de estar ali a pensar, "Ora bem isto agora é por aqui ?" "Será isto o que estou a pensar ?"

Bom lá acabei a prova com o tempo de 1:31:01. Bem abaixo do que tenho feito. O percurso para mim não ajuda nada mas eu desde o início que também senti as coxas presas. Azar, melhores dias virão :)

Ahhhhh...

Mas falta a história da tal saída à direita. Essa saída era então para quem já tinha acabado a prova, lá em frente estavam algumas pessoas da organização.

"Tome aqui uma água, uma maça, uma barra proteica..."  Passado um bocado já estava de braços cruzados a tentar segurar tudo para não cair para o chão. Perguntei se não havia sacos para aquilo tudo... não havia :|

Lá me sentei no chão um pouco mais à frente à espera da minha vez para massagem, enquanto trincava algo e explicava o que se tinha passado ao Nuno André, olho para o pessoal à minha volta e vejo todos eles com a medalha ao peito.

E a minha ???

Fui lá ter com a rapariga que me deu as várias coisas e perguntei.

"Peço desculpa, mas eu não recebi medalha. É onde ?"

"É este rapaz que está aqui."

Era um jovem que estava de costas e não me viu a chegar nem eu o vi :\

Epah "metas" ainda vá que não vá, mas ficar sem a medalha é que não :)


Próxima prova, Maratona de Sevilha. Nas últimas semanas não consegui treinar nada de especial ai ai aiiiiiii...

Até já !