Olá a todos ;)

No passado dia 9 fui correr a Ílhavo na minha senda de correr todas as meias do país.

Foi a primeira vez que fui a Ílhavo, e foi também a primeira edição desta prova.

Uns tempos antes quando me inscrevi para a prova, reparei no site que havia um pedido para pacers, e não era um pacer para cada ritmo, mas três !

Os ritmos iam desde os 4:30m/km até aos 6:00m/km, intervalados de 15 em 15s ou seja haveriam no total 18 pacers na prova :)

Havia um formulário de inscrição e os candidatos aceites não pagariam a prova.

Achei a ideia interessante e lá me inscrevi. Sendo guia às terças na Cidade Universitária não me era nada de novo.

Aliás... Já tinha sido pacer numa prova há uns tempos largos. Corrida do Tejo 2014.

Não pacer "oficial", mas pacer Correr Lisboa. Uma iniciativa que tivemos esse ano. Nós guias da EUL íamos vestidos com a nossa camisola azul e cada um de nós corríamos a um ritmo previamente programado.

Eu na altura ia a marcar o ritmo de 4:00m/km. Tem piada que essa corrida foi a que deu origem a esta crónica. Caso queiram ver está aqui.

É certo que aqui a distância era maior, um local que não conhecia e que ninguém me conhecia. E por isto mesmo escolhi o ritmo de 5:00m/km o que daria um tempo final de 1h45m30s.

Quem me conhece sabe que é um ritmo bem confortável.

Lá fui como de costume de comboio e parei em Aveiro e fiquei hospedado na casa de um casal amigo meu, isto é que foi poupar eh eh eh.

Agora já me podem chamar Lebre... errr...


Na manhã da prova, lá fui de boleia para o local onde estava combinado o encontro de pacers.

Indo a pé a caminho do local, encontro o Nuno André. Já perdi a conta as vezes que nos encontramos sem termos combinado. Não deu para ficar ali na conversa com ele pois tinha de procurar o local combinado pois já não faltava muito tempo.

Pouco depois, tínhamos a ideia que estávamos no local correcto mas como não víamos ninguém ainda andamos por ali a perguntar a alguns transeuntes  se estávamos no local certo.

Pouco depois, lá percebemos que sim pois começavam a chegar alguns atletas que também iam ser pacers.

Ficámos ali na conversa falando de outras provas enquanto esperávamos pelos membros da organização.

Reinava a boa disposição, pelo que percebi as pessoas que iam fazer de pacers estavam todos à vontade com os ritmos que iam fazer, não vi ninguém preocupado ou nervoso por ser pacer.

Chegados os membros da organização, distribuíram para além dos dorsais a dizer pacers umas t-shirts diferentes das que eram entregues aos restantes atletas.

As nossas eram amarelas e para além do logótipo da prova dizia Organização.

Ainda perguntei se dava para correr com a nossa camisola pois as mangas davam-me imenso calor, mas para mais fácil percepção dos atletas quem era pacer, usei a que me foi entregue.


O meu grupo era constituído por mais o Marco Peixoto e a Alexandra Fernandes.

As regras eram simples, tentar cumprir o ritmo estabelecido o mais estável possível durante todo o percurso sem necessidade de acelerar aqui ou abrandar acolá e no último km perguntar se alguém do grupo queria esticar um pouco até à meta.

Daqui seguimos para o aquecimento. Eu estava com um pequeno saco com algumas coisas minhas e era para ter dado à organização, pois está claro que me esqueci.

Fui correndo com o Marco numas ruas próximas à partida e fomos combinando algumas coisas.

Apesar dos três termos relógios, ele ficaria responsável pela marcação do ritmo e nós íamos olhando também para os nossos relógios vendo que estava tudo a bater certo.

Sobre os abastecimentos lembrei-me de combinar com o Marco que eu ficaria responsável por ir-lhe buscar água, prevendo alguma possível complicação num abastecimento, ao me aperceber que se aproximava um abastecimento eu arrancaria, pegava uma garrafa para ele e lhe entregava, de modo a ele não ter de mudar de trajectória ou correr o risco de abrandar por uma possível complicação.

Estávamos na corridinha para aquecer e quem é que eu encontro ? O Carlos Caetano, que vos falei na corrida de Faro.

Trocámos ali umas palavras e no meio da conversa reparei que ele estava com uns ténis diferentes.

"Então já não estás com os ténis de Faro que tinhas falado maravilhas ?"

"Não, mas já encomendei outros, os de Faro já estavam com 1800km."

Naquele momento acho que os meus olhos deram 3 voltas para trás.

"Mas os ténis vistos de cima pareciam novos."

"Sim mas por baixo a sola já estava toda gasta."

Pudera 1800km... Eu acho que ele não dorme malta :) ele deve passar a noite toda a correr :o

Lá nos despedimos e pouco depois fomos para a nossa zona de partida.

Em Junho do ano passado já tinha feito uma prova da atletas.net, essa prova foi a Meia da Figueira da Foz.

Prova que também vos relatei aqui.

E tal como nessa prova, a partida estava dividida entre 4 blocos.

A) Menos de 1h25 \ B) 1h25~1h45 \ C) 1h45~2h00 D) Mais de 2h

A partida teve um pequeno atraso em relação à hora programada.

Foi dito nos altifalantes que estavam à espera da ordem da GNR para se dar a partida.

Ninguém (que tenha topado) ficou chateado com isso pois toda a gente ali à minha volta estava animada.

Pouco depois lá se deu a partida, apesar de ainda estar muita gente à nossa frente passado pouquíssimo tempo já estávamos a correr ao nosso ritmo, é a vantagem de se criar blocos.

Prevíamos que só lá para o 2º/3º km começar a entrar no ritmo devido a alguma confusão mas nada disso.

Passados uns 500m já dava para correr a 5m/km à vontade.

Tínhamos muita gente à nossa volta mas dava para correr desafogado. 

A primeira parte de percurso é muito gira, não só corremos junto ao Rio Boco, como o atravessamos por uma ponte.


Lá ao fundo já se ouvia música aos altos berros, após a ponte havia uma rotunda onde estava um DJ a passar música de modo a animar os atletas.

Ao chegar à rotunda virámos à direita indo +/- paralelos ao Rio Boco.

Durante a prova fomos encontrando vários populares que junto à estrada iam apoiando os atletas.

Aos poucos que estavam "só" a olhar eu lá ia fazendo o meu número...

"Quero ouvir baruuuulhoooo !!!"

E as pessoas do publico lá se animavam e apoiavam, quando não era eu, era a Alexandra que se virava para pessoas que estavam caladas e dizia "Obrigada pelo vosso apoio obrigada."

Deve ter sido das meias com mais gente na rua que me lembro.

Os abastecimento aconteciam de 4 em 4km, todos eles com bastantes voluntários a estender garrafas de água para os atletas. Uma outra coisa a favor dos abastecimentos, a partir do 2º aos 8km, todos eles tinham fruta também, meias bananas e laranjas.


Pouco depois do km 10 começamos a ver uma série de atletas já a regressarem do único ponto de retorno.

Brincávamos com eles dizendo coisas do género...

"Vamos lá pessoal ! Vocês conseguem."

"Agora é só irem até lá ao fundo e já nos apanham."

A boa disposição era coisa que não faltava, algures por esta altura, vem ter connosco um atleta do nosso grupo e nos disse...

"Mas como o raio é que vocês desde o início estão na conversa e a rir como se não fosse nada, e a este ritmo ? Nem parecem cansados."

Lá lhe explicámos que para se ser pacer tem de estar muito confortável para fazer esse ritmo.

Pouco depois fazia-se o retorno, e aí havia um tapete de controlo de chip. Apesar de a primavera ter começado ainda há pouco tempo, naquele dia fez-se sentir um calor acima do que é indicado para correr. Pelo menos para mim. :)

E isso topava-se ao longo dos km, começámos com um grupo ainda grande, mas que aos poucos ia perdendo alguns atletas, por outro lado, atletas que iam mais rápido ao quebrarem juntavam-se a nós e seguiam no nosso ritmo.

Até quase ao km 13 a prova fez-se em zonas habitacionais, os próximos km foram feitos na EM587.

Zona industrial e sem grande interesse em termos visuais, mas aqui aconteceu o momento mais engraçado da prova.

A Alexandra virou-se para nós e disse que precisava de ir à casa de banho e que já nos apanhava.

Continuámos os dois com o resto do grupo, o ritmo estava estável e já só faltava 1/3 da prova para acabar.

Alguns minutos depois, damos conta de um carro da GNR a aproximar-se devagar de nós vindo de trás, ultrapassa-nos e uns 20m à nossa frente pára...

Vemos a porta de trás abrir e quem é que sai de lá ?

A Alexandra :)

É claro que toda a gente começou logo com "bocas"..

"Assim também eu." , "Se fosse comigo mandavam-me correr, agora como é uma rapariga.".

Eu próprio virei-me para o carro e disse "Agora é a minha vez, podem-me deixar na meta sff ?"

Todas estas "bocas" foram ditas em tom de brincadeira, e o GNR que estava no lugar de pendura ria-se e lá seguiram.

A Alexandra disse que ao sair da casa de banho lhes tinha pedido boleia, eles disseram que não podiam dar boleia, mas ela lá explicou a situação que era pacer e que teve de parar e lá lhe concederam a boleia.

Durante a prova, vários populares deram uso a mangueiras que tinham e deram banho aos atletas à medida que passávamos em frente às suas casas.

Perto do km 16 voltávamos a estar paralelos e bastante junto ao Rio Boco.


Esta imagem do Google Earth não faz muita justiça pois foi tirada num dia nublado, mas digo-vos que esta zona da prova era muito gira.

Por esta altura, antes de chegarmos à ponte que nos levaria para a outra margem, expliquei ao grupo que por volta do km 20 quem quisesse acelerar um pouco podia seguir comigo.


Poderia haver atletas que o seu recorde fosse perto deste ritmo e no fim com uma aceleradela desse para o bater.

Depois de passar a ponte, passámos em frente do Museu da Vista Alegre. (+/- km 19)



Voltávamos a estar em zona urbana e outra vez com bastante gente nas ruas a ver a prova e a apoiar.

Pouco depois vi a placa do km 20 lá ao fundo e virei-me para os atletas que seguiam connosco...

"Como é que é pessoal ? Alguém quer acelerar um pouco até à meta ?"

"O Marco e a Alexandra vão continuar a manter o ritmo, mas se alguém quiser puxar um pouco é só dizer."

Silêncio...

Voltei à carga uma 2ª vez...

E nada... pensei... o pessoal é capaz de estar cansado devido ao calor e ninguém se sente com força para uma "série de 1000m" :)

Mas pouco depois um atleta virou-se para mim e disse algo do género "Vamos embora então."

Começamos os dois a descolar do pelotão, e aos poucos e poucos, não combinando um ritmo para atacar mas fomos acelerando.

Ia permanecendo sempre 1 a 2m à frente dele acelerando aos poucos.

Estávamos a 400m da meta e o ritmo ia acelerando.

"Vamos, bora, tu consegues." E ele respondia ao incentivo acelerando, poucos depois fizemos a última curva da prova, à nossa frente lá ao fundo estava um tapete vermelho que nos levava à meta.

Muita gente a envolver a zona da meta e a dar apoio aos atletas, eu sempre a puxar por ele e a bater palmas para ele acelerar ainda mais.

Foi uma sorte não ter caído aí :D pois estava a correr ,bater palmas, estando a olhar para trás a puxar por ele.


Acabei a prova com o tempo líquido de 1h44m30s exactamente 1m menos do que se fosse a 5m/km.

Afinal ainda havia muita energia dentro dele, numa próxima já sabe que pode arriscar um pouco mais :)

Voltei para trás um pouco e fui ter com o grupo com que fiz a prova e atravessamos juntos a meta.

Eu o Marco e a Alexandra demos um abraço colectivo e dei os parabéns pelo bom trabalho de equipa.

No fim para além da medalha de participação (creio que é a maior que tenho) havia também águas e laranjas.



Para quem quisesse havia chuveiros perto da zona da Partida/Meta.

Esta prova tinha um preço de inscrição um pouco maior que a maioria das provas que tenho feito.

O normal tem sido na casa dos 10, esta era 12 no primeiro prazo.

É sim uma prova mais cara, e é certo que não a paguei por ter sido pacer.

Mas eu creio que quem a pagou não se queixou.

Uma prova que me pareceu bem organizada, com guarda roupa, com 3 pacers para vários ritmos, 4 caixas de saída, abastecimentos com várias pessoas a dar águas e quase todos os abastecimentos com sólidos também, com 6 postos de animação, muitos mas mesmo muitos voluntários a controlar entradas de carros nas ruas onde passava a prova, prémios monetários para muitos dos melhores classificados, um percurso rápido com muita gente a assistir e com algumas paisagens muito bonitas.

E ainda havia massagens no fim.


Se para o ano não houver perto alguma prova que ainda não tenha feito, quero lá voltar para correr ao meu ritmo.

Próxima prova, Castelo Branco-Alcains dia 25 de Abril, Sempre !