adidas

Blog Detalhe

Demasiado pálido... para ser Queniano #36 - 28ª Meia Maratona de Lagos

Olá a todos de novo ;)

Na última crónica escrevi que a próxima prova era em Vilamoura... pois... foi engano meu.

Nas verdade foi em Lagos, e só reparei nisso no dia anterior, ao juntar os comprovativos do bilhete de comboio/estadia/inscrição da prova.

Chegado a Lagos, fui ao hotel patrocinador da prova para levantar o dorsal, lembrava-me que no site falava que o kit do atleta incluía para além da t-shirt da prova um boné.

Mas deram-me só a t-shirt. Como já tenho vários bonés nem liguei e nem perguntei pela falta dele.

Chegado à residencial, comecei a arrumar as coisas para o dia seguinte, e quando tiro o dorsal do envelope tenho uma surpresa.

O dorsal era de um material plástico que fazia lembrar uma tela, daquelas faixas de publicidade. Por acaso tinha comigo um corta unhas, fiz então duas dobras em cada canto e cortei a ponta da dobra.

Lá consegui criar um buraco de modo a usar os apliques que uso para prender o dorsal na t-shirt.

No dia seguinte fiz o costume, acordei bem mais cedo de modo a tomar o pequeno-almoço bem antes da prova.

Na semana anterior fiquei um dia inteiro em casa com um resfriado ou algo do género. Suores e dores musculares fez com que andasse o resto da semana com expectoração.

Lá saí da residencial e fui para a prova. A partida ficava nas costas da Marina de Lagos, mesmo em frente junto ao hotel onde tinha levantado o dorsal.

Lá comecei a fazer o meu aquecimento do costume, ia olhando para um lado... e para o outro... lembrei-me que tinham anunciado um Queniano para a prova, de seu nome Daniel Kipchirchir, pelo que vi no Wikipédia foi um antigo atleta dos 1500m. 


O tempo ia passando e lá me coloquei na partida, não sei porquê a prova atrasou-se quase uns 10 minutos.

Enquanto estava na partida, assim pela 3º fila de atletas, olhei de novo à procura do tal Queniano.

Acontece que na primeira fila estavam uns 2 ou 3 potencialmente Quenianos...

O que estava mais perto de mim, como "gajo da corrida" que sou olhei logo para os ténis dele.

E ténis tinha ele para correr ? Tentem adivinhar. Vou-vos dar umas pistas.

- Adidas...

- Eram todos brancos, excepto na parte do tendão de Aquiles, aí eram verdes...

- Não eram Boost...

Pensem um pouco a resposta está mais em baixo...




Malta... Ele tinha calçado uma imitação dos Stan Smith.... Uma meia maratona de Stan Smith !

Ele afinal não era Queniano, mas fiquei estúpido com os ténis. Ainda há poucos dias vi a notícia que um tipo nos Estados Unidos fez uma meia maratona de Crocs...

Dá para rir não é ? Mas se souberem que ele fez a meia em 1h11m... e agora ? Ainda têm vontade de rir ? :D 

Bom, lá se deu a partida, eu não estava num dia bom para correr, em fins de Março, comecei (finalmente) a correr vários dias por semana. O chamado "meter km nas pernas" e ir à pista fazer fartlek.

Mas há umas duas semanas senti uma pequena impressão no joelho e parei logo com essa correria toda.

Há já uns 12 dias que não corria e tinha estado adoentado na terça anterior da prova, para ajudar bastante quente o dia.

O rapaz dos Stan Smith tinha arrancado com os primeiros e lá ia fugindo.

Ena ena...

Seguimos apontados à doca seca da Marina, aí entrámos numa área reservada só aos donos dos barcos e a quem os repara.

Foi uma coisa gira de se ver, correr junto aos barcos, numa das curvas apertadas vi uns atletas à minha frente a escorregar.

Quase caíram pois na curva estava alguma areia que não se topava.

Foi o que me valeu, senão teria se calhar eu caído e lá passei devagarinho, saindo da curva e quem é que eu vejo à minha frente a andar ?

O "Stan Smith"... Não sei o que lhe aconteceu, mas na placa do km 1 já ia a andar.

Saímos da doca seca apontado à ponte levadiça da Marina, uma ponte bastante íngreme mas que se fez sem problema nenhum.


Daí seguíamos pelo passeio apontados ao Castelo onde está a estátua do Gil Eanes, filho da terra.

Antes da chegada ao Castelo fazia-se o retorno e aí então começámos a correr na estrada, pela Avenida dos Descobrimentos.

Eu tentei saber o percurso dias antes, mas não encontrei. Não tinha a mínima ideia como ia ser a prova, se plana, com altos e baixos, ou um misto.

Perto do fim da Avenida, ao km 4 havia o primeiro abastecimento, e pouco depois vi a placa dos 13 km.. 13 ???

Pensei, "Olha a prova deve ser um circuito de 2 voltas." mas ainda bem que não foi.


A primeira metade da prova decorria pelo interior de Lagos. Há muitos anos estive lá de férias, conhecia a zona da Marina e do Castelo.

Mas essas memórias eram de 2001 +/-...

Como estava a dizer, a primeira metade foi pelo interior... e que interior.

Subida, depois mais uma subida e outra... "Olha aqui há uma pequena descida", pequena pois logo vinha outra subida.

Eu já não ia com grande moral para a prova e aquele inicio matou-me.

 

Tinha vindo de duas provas que me tinham corrido bastante bem, mas nesta senti-me bastante mal.

Uma coisa que não estava a perceber foi o seguinte. Em alguns locais o trânsito circulava na mesma estrada onde corríamos, tinha de me desviar para o lado algumas vezes para carros passarem.

Mas em algumas rotundas que passei, havia umas grades a cortar o trânsito, e aí haviam filas de carros à espera.

Nas rotundas e alguns cruzamentos haviam PSP's e GNR's, mas em outras zonas, os carros entravam como queriam.

Não percebi.

Em algumas ruas, como o atleta que ia à minha frente já ia com uma boa distância, em curvas apertadas por momentos deixava de o ver. E nem sempre era fácil de determinar o caminho da prova, várias vezes perguntei por onde era o caminho.

Numa das rotundas ia-me enganando, no meio da rotunda estava um carro, que visto de repente parecia estar a tapar uma das saídas fazendo com o que a saída correcta fosse a primeira.

O que vale é que perguntei e era para se seguir em frente, o carro parou ali pois deveria estar a perguntar alguma coisa ao PSP.

O tormento das subidas acabou no km 11, aí fizemos uma grande descida que nos levaria de novo à Avenida dos Descobrimentos.

Os postos de abastecimento estavam aos 4, 8, 12, 15, 18. Foi bem visto da parte da organização a partir do km 12 em vez de 4 em 4 km serem de 3 em 3km.

Feita de novo a Avenida, virámos então à direita, passamos a ponte e seguimos para as costa da Marina em direcção à Estrada da Meia Praia.


A Estrada da Meia Praia, tem uma via para cada sentido, corremos lá perto de uns 6km. 

Uns iam para o retorno, outros já voltavam. E no meio de nós todos, circulavam... carros.

Uns a correr numa berma, e outros na outra berma.

Eu não percebo como é que ainda é possível fazer-se provas com trânsito incluído.

Os carros obviamente não iam a andar depressa, mas será que cortar o transito 3h custa assim tanto ?

Um dia há um azar e depois quero ver como é que se resolve...

Por esta altura já meio de rastos já só queria que a prova acabasse, nem o gel dos 14km tomei pois achei que ia ser um desperdício.

Perto do final cruzei-me com um grupo com umas 5/6 pessoas que me disseram "Força Vicente !", tinha os visto no aquecimento, eram do "Grupo Marcha e Corrida Jamor", respondi creio "Força Jamor !"

A parte final da prova tinha outra característica muito gira, no último km, entrávamos na Marina e passámos por um portão que dava acesso aos passadiços que permitem uma pessoa aceder ao seu barco.

O passadiço tinha um tapete emborrachado de modo a ninguém escorregar ali, bem visto, pois se alguém saísse fora do passadiço ia ao banho.

  

E logo a seguir estava a meta.

Terminei a prova com 1h33m08s

E infelizmente não havia medalha de participação, a "medalha" era uma placa, com o nome da prova e os seus patrocinadores.

No fim recebia-se um saco com uma maça, um gel de sumo de fruta e o tal boné prometido :)

A prova não teve muita gente a assistir, exceptuando a recta final, em que várias pessoas puxavam os atletas num último esforço.

Mais uma vez, os poucos apoios que ouvi durante a prova na esmagadora maioria vinham de estrangeiros. Aliás Lagos está cheia de cidadãos do Reino Unido. 

No dia anterior, passeei, e quase nem dei conta de Portugueses. Ao entrar num Intermarche, só os empregados eram tugas.

Acho que a prova tem zonas muitos giras de se correr, toda a envolvente da Marina e Meia Praia. 

É dura, nem por sombras é prova boa para tempos.

Pelo lado negativo, o trânsito durante a prova. Horrível.


Bom malta, até breve ! 

A próxima é outra vez no Algarve, (agora sim) a Eco Meia Maratona de Vilamoura.

A ver se corre melhor.

Morada

Contactos