adidas

Blog Detalhe

Demasiado pálido... para ser Queniano #37 - 3ª Eco Meia Maratona de Vilamoura

Olá de novo a todos :)

Hoje vou-vos contar a minha história na Eco Meia Maratona de Vilamoura.

Esta prova tem o nome Eco pois metade do percurso se corre fora do alcatrão ou seja fora de um ambiente citadino, apesar de nunca estarmos longe da cidade.

Esta prova para mim começou no dia anterior...

Sexta à noite tive uma actuação de Salsa na Costa de Caparica, e quando digo sexta à noite na verdade já é sábado de madrugada.

Entre dançar, voltar para casa e arrumar as últimas coisas já eram umas 3h e tal da manhã e o comboio partia às 8:20.

Ok... já estão a ver o cenário... dormir/descansar em condições não foi coisa que aconteceu lá muito.

Durante a viagem tentei dormir qualquer coisa mas não tive lá muito sucesso. Desta vez fui muito mais cedo de comboio do que o normal, pois a prova era sábado à tarde, pelas 17h.

Se tivesse sido num domingo como é normal, teria ido num comboio mais tarde, e ter-me-ia deitado mais cedo sábado para compensar o pouco descanso do dia anterior.

Bom, cheguei à Estação de Loulé pelas 11h e pouco. A Estação de Loulé não fica no centro da cidade e nem sequer na cidade fica. Tinha visto uns dias antes em como ir da Estação para Vilamoura.

Vi um esquema de horários de autocarros e percursos mas fiquei cheio de dúvidas e então decidi que o melhor era apanhar um táxi.

Ao sair da Estação estavam lá uns 3 ou 4, mas eu estava sem dinheiro. Esses táxis foram logo ocupados e eu fui à procura de um MB.

Andei ali por umas ruas à volta da Estação e nada, até que voltei à Estação e perguntei ao rapaz da bilheteira onde é que havia por ali um MB.

"O mais próximo é na bomba da Repsol, vai aqui em frente até à rotunda, vira à direita e vai sempre em frente, fica a uns 2km daqui."

2km ? Eu ainda não vos contei, mas estava já um calor bastante forte... 

De mochila às costas, com o equipamento da corrida, mas a roupa do dia seguinte não me apetecia mesmo nada, mas lá tive de ir.

Costumo levar comigo sempre um garrafa de água, mas desta vez tinha-me esquecido e a sede também começava a apertar.

Lá me fiz à estrada, ia andando e passando por algumas lojas. Em todas olhava lá para dentro a ver se via alguma caixa MB.

800m depois... cheguei à rotunda em que viraria à direita, mas do lado esquerdo lá ao fundo vi uma bomba da BP, pensei...

"Aquela é mais perto."

E lá fui... 200m depois...entrei na loja e olhei à volta... Nada de MB, perguntei onde era o MB mais próximo.

E onde é que era ? Na Repsol !..............................

Lá voltei para trás, mas 200m para a rotunda e outros 1100m para a bomba da Repsol.

Finalmente lá estava a máquina MB. Levantei o dinheiro e comprei uma garrafa de água.

Saí da bomba e fui para a beira da EN125 para ver se via algum táxi. Já tinham passado uns 3 ou 4 até chegar à Repsol.

E esperei... esperei... esperei... Agora era a fome a começar a atacar.


(Eu tão contente)

De tempos a tempos via um táxi, mas estavam sempre ocupados.

Decidi voltar então à Estação e ver se estava lá algum parado.

Passados 2km lá chego à Estação e nada de táxis........

Vi numa porta um papel com vários telefones de rádio táxis, liguei para o de Loulé e disseram-me para ligar para o de Vilamoura que era mais perto.

Liguei então para o de Vilamoura, lá me atenderam e disseram que iam avisar os colegas que estava lá.

Esperei 30min... nada. Liguei de novo, voltaram a dizer que iam informar os colegas.

E voltei a esperar. Desta vez só esperei uns 10m. Estava com fome, cansado, com calor e farto de ter andado de um lado para o outro e estava a ver o tempo a passar. Por momentos pensei que nem a horas da prova iria chegar..

Voltei a ir para a rotunda para ver se apanhava um táxi. Eram já quase umas 3 da tarde.

Chegado à rotunda voltei a esperar, e passado já não sei quantos minutos vi um táxi a parar na bomba da BP.

Desatei a correr em direcção ao táxi. Lá falei com o taxista e lá consegui a viagem que há horas procurava.

Ele disse-me durante a viagem que os taxistas quase nunca vão para aqueles lados, pois fazem viagens mais rentáveis indo para o Aeroporto de Faro.

Chegado a Vilamoura, fui logo dar entrada na pensão em que ia ficar, segui logo para o Hotel Crown Plaza levantar o dorsal, e passei ainda por um supermercado para comprar algo para trincar. Não tinha tempo de almoçar em condições e fazer a digestão.

Chegado à pensão de novo tentar descansar uns minutos antes da prova, coloquei o despertador não fosse adormecer.

Pouco sono, com calor, mal alimentado e "cansado" de tanta espera não tinha vontade nenhuma de ir correr.

Passado 30 minutos de descanso, equipei-me e segui para a prova.

Chegado à partida que ficava junto ao mar, lá comecei o meu aquecimento. Já lá estava bastante gente mesmo, pelo que vi depois nos resultados entre Meia e Mini Maratona (12.3km) estávamos acima de 300 pessoas, das quais umas 120 na Meia.

A partida seria dada junta, sem divisão de provas.

Passado poucos minutos ouve-se nas colunas que os atletas deveriam-se dirigir para a zona da partida.

Esperei ainda um pouco, continuei a aquecer e lá fui pouco tempo depois.

Faltavam uns 5min para a partida, ouvia-se musica ambiente em altos berros, para meu azar fiquei mesmo ao lado de uma coluna. Estive esse tempo todo a tapar o meu ouvido esquerdo... só para evitar assim uns possíveis danos irreparáveis.

O tempo passava, e passado um pouco o speaker diz que se estão a verificar se está tudo ok para a partida e que dentro de poucos minutos a prova iria começar.

Já tinha passado das 17h...

E esperámos... Mais uma vez o speaker diz que está mesmo quase falta só uns ajustes. E lá continuámos esperando...

Começo a ouvir entre os atletas que a partida ia ser dada pelo Presidente da Camara, e que ele não estava ali.

Ora... a vontade já era pouca ou nula, e ainda estar ali à espera só me apetecia marimbar-me para aquilo e ir embora.


Pelas 17:15 chega então o Presidente é obviamente que é recebido por um monumental coro de assobios dos atletas.

Tenho o hábito de no arranque da prova dar um pequeno esticão para ir no balanço dos mais rápidos.

Desta vez não, arranquei sem essa vontade e lá fui como fui.

Os primeiros km foram feitos contornando a Marina de Vilamoura, cheia de Britânicos nos pubs e a passear, batiam palmas e davam apoio à medida que íamos passando.

Ao fim de 3km saíamos da zona da Marina e ainda em estrada começávamos a ir em direcção a um campo de golf.

Foi +/- por esta altura que reparei que estava a correr junto com outro atleta há algum tempo e no mesmo ritmo.

Não me recordo quem começou, mas começámos um pequeno diálogo.

Falámos do calor que estava, dos ritmos que fazíamos, de provas. E automaticamente formou-se ali uma aliança em atacarmos a prova juntos.

Pouco depois do km 4 saímos então da parte citadina e entrávamos numa ciclovia.


Ciclovia que tinha de extensão +/- 1km, e que acompanhava o campo de golf. A ciclovia terminava ao passar-se por esta pequena ponte.



Logo a seguir apareceu o primeiro abastecimento. Agarrei a garrafa e lá coloquei a minha tampa dos costume ;)

Voltámos a correr então na estrada, mas não por muito tempo, passados uns 300m saímos e entrávamos então numa estrada de terra batida.


O piso aqui ao início não estava mau. foi o início de uns 9km "offroad".

Passámos ao lado de uma série de campos de cultivo, pelo menos foi o que me pareceu. Não consegui ver o que se passava à minha volta, não porque fosse depressa, pois não ia, mas porque muito do terreno estava coberto por palha, ou umas canas ou o que raio era.

Não se conseguia ver muitas vezes onde se ia pisar, pois todo o entulho tapava o solo.

Levantei o pé do acelerador e por momentos o atleta que me acompanhou ganhou alguma vantagem.

Estava com bastante receio de pisar um buraco sem o saber.

Se calhar estão a pensar... "Ahhh malandro, deixaste o outro ir à frente para ver onde ele punha os pés !"

Bem isso seria muito desonesto, mas mesmo que o quisesse fazer era impossível fazer isso, pois onde cada um pisava não deixava pegadas, e se quisesse fazer isso tinha de estar mesmo colado a ele para ver exactamente onde ele colocava os pés e aos poucos e poucos ele ia afastando-se.

Passado uns bons minutos quando já se conseguia ver o chão, apesar de muito irregular, lá consegui acelerar um pouco e aos poucos e poucos voltei a aproximar-me dele.

Voltámos a seguir juntos e lá trocámos mais umas palavras. À nossa frente reparei que seguia um pequeno grupo, se não me engano formado por 3 rapazes e 1 rapariga.

Ainda iam com uma boa distância de nós, apesar disso dei conta que aos poucos e poucos íamos ficando cada vez mais próximos.

Passada após passada e eles cada vez mais perto...

Até que nos colamos ao fim do seu grupo. Não me recordo bem em que km isto aconteceu. Apesar do que já tinha passado, sentia-me com mais força suficiente para manter o ritmo em que ia. O atleta que ia comigo disse que ia seguir com eles e para eu ir, na altura não percebi bem o que ele disse (soube disto pois falei com ele no fim da prova).

Mantive o meu ritmo e aos poucos e poucos descolei do grupo.

Arrisquei... podia ter seguido com eles e seríamos um apoio uns para os outros, mas decidi avançar.


Apesar de haver algumas indicações como setas, fitas e alguns voluntários a dizer o caminho, houve algumas situações em que tinha dúvidas por onde seguir., olhava para os lados em bifurcações e cruzamentos para tentar perceber onde era o percurso.

De tempos a tempos via ao fundo um outro atleta à minha frente vestido de preto, e conseguia +/- perceber por onde seguia.

Finalmente pouco depois do km 14 voltei à estrada, estas coisas estilo "trail" não são feitas para mim. 

Estrada não, ciclovia.

Voltava a poder correr sem estar preocupado onde pousar o pé e voltar a imprimir o ritmo que queria... ou melhor, que podia...


Neste momento, ao passar nos abastecimentos agarrava as garrafas, bebia um pouco e o resto ia pela cabeça abaixo.

Corri uns 700m nesta ciclovia até chegar à Estrada de Albufeira.

Aqui passava-se na passadeira e seguia-se numa outra ciclovia, sempre paralelo à estrada.

Em cada passadeira estava um GNR a cortar o trânsito de modo aos atletas poderem passar sem problema.

Ainda me faltava 1/3 da prova e já estava a correr a uma media nessa altura de 4:28 bem abaixo do que me é comum.

Por vezes em provas que não me correm bem, só nos últimos km corro abaixo dos 4:20, mas eu já só queria acabar...

Cada vez que se passava por uma rotunda, lá estava um GNR a parar o trânsito de modo a deixar passar os atletas da Meia e da Mini e por esta altura já começava a encontrar alguns atletas da Mini.

Estava eu quase a entrar no km 16, ao agradecer ao GNR o seu trabalho ele diz-me.. "Está em 3º lugar."

 Fiquei tão parvo com aquilo, que a primeira coisa que me veio à cabeça foi...

"Do escalão ???"

Agora dá vontade de rir. é óbvio que o GNR não tinha hipóteses de saber lugares de escalão.

Mas foi algo tão surpreendente que nem raciocinei em condições. Depois ao pensar bem percebi.

3º da Geral !!! Não pode ? Seria ? 

Já por 3x fiquei em 4º do escalão, mas nunca pensei sequer em ir ao pódio de escalão, quando mais da geral, o que não falta aí é malta que corre bem mais rápido que eu.

Apesar de tudo o que já tinha passado, de repente fui buscar energias sabe-se lá onde e desatei a acelerar.

Só pensava... "Sou 3º ? Vou ao pódio ? Será mesmo verdade ?"

Ainda não estava a acreditar, mas a verdade é que o corpo empurrou-me para a frente.


E de uma média de 4:28 desmoralizado, desatei a acelerar e a acreditar que se calhar era possível e que se sim não queria perder essa hipótese.

Dei por mim sempre que estava num recta a olhar para trás a ver se via alguém. Não via ninguém mas não quis abusar da sorte e lá mantive o ritmo.

Passado um pouco vi um fotógrafo e lembrei-me de lhe perguntar se sabia a minha posição.

"Sabe-me dizer se sou o 3º ?"

"É sim."


(Não admira que fiz um sorriso enorme)

Era a confirmação !

Estava em êxtase, era mesmo possível ir ao pódio... de escalão e geral.

Corri corri corri e olhava muitas vezes para trás, devia estar a parecer um maluquinho :)

Sabia que estava perto e cada vez mais acreditava que ia acontecer.

E o que é que eu faço ? Dou um salto na meta ? Berro algo ?

Isto nunca me aconteceu, eu não estava preparado para isto, a minha cabeça disparava em várias direcções a pensar como ia ser ao passar a meta.

E passado poucos km lá dei por mim na recta final.

Metros antes berrei "Guappppiiiiiii !!!" e lá atravessei a meta, e logo de seguida ouvi nas colunas.

"E em 3º lugar, Vasco Tavares da Equipa Correr Lisboa."


Tinha sido mesmo verdade. E o que senti de seguida ? 

Nada de especial... Foi algo que me surpreendeu.

Pensava que ao atravessar a meta e sabendo que ia ao pódio, ainda por cima sendo o meu primeiro estaria mega feliz e se calhar aos pulos ou outra coisa do género.

Mas não, parei o relógio, recebi a medalha de participação, agarrei uma garrafa de água e fui comer gomos de laranja que a organização tinha para os atletas.

Estava como em qualquer outra prova. Calmo, a comer e beber e fiquei por ali a alongar.

Foi um bocado estranho, se calhar se tivesse ali com amigos teríamos feito uma pequena festa, estando sozinho fiquei por ali esperando pela cerimónia do pódio.

Como nunca espero ir ao pódio, o normal ao acabar a prova é ir-me embora.pouco depois.

Não tinha levado roupa para me trocar e estava ensopado. Tive de esperar +/- 1h.

O calor já tinha ido e com o vento a bater começava a sentir frio, muito frio mesmo.

Quando já faltava pouco para a cerimónia começava a tremer de frio. Apesar de saber que ia ao pódio 2x queria era despachar a cerimónia para poder tomar banho e vestir ao seco.

Os atletas que ficaram à minha frente eram do meu escalão, dai ter ficado em 3º lugar em ambos os pódios.

Mas não me queixo :)


(Pódio Escalão Vet 40)


(Pódio Geral)

O "caneco" já entreguei à Sandra para seguir para o Museu Correr Lisboa ;)

Juntamente com o "caneco" recebi um cheque no valor de e70 (não dá para fazer aqui o símbolo do Euro) para poder gastar numa Churrascaria que patrocinava a prova.

Tive vontade de rir mas não o fiz por respeito, para quem não sabe eu sou Vegan.

Portanto terem-me dado aquilo ou um envelope vazio era o mesmo ;)

Abreijos e até a próxima.

Morada

Contactos