O mês de Maio ainda ia a meio e eu já ansiava pelo próximo mês.

Vinha de um mês bom, em que me sentia bem e confortável com o meu plano de treino e estava cheia de esperança para o mês de Junho. Até estava a querer superar- me e arriscar um treino no grupo dos 5:00 min/km na Expo. 

Mas eis que surge um mês mau, muito mau mesmo!

Logo no início de Junho tive uma bolha enorme no pé, andei a treinar com uma dor terrível. Andava a aguentar essa dor, pois não queria parar com os treinos. Pois sei que quando paramos custa imenso retomar. 

Após a bolha desaparecer tive uma inflamação no pé e mal conseguia andar, o que me impossibilitou de treinar e inclusive de participar na última prova do Circuito dos Parques, no Vale do Silêncio. 

Fui à prova só dar apoio (que também é uma parte que gosto da corrida). Gosto de dar incentivo e uma palavra de força para quem está a fazer a prova. Mas é triste estar a ver os meus amigos a correr e eu não o poder fazer...


Para ajudar mais, tive uma semana de férias. Ia toda entusiasmada para fazer uma corrida na terra do Usain Bolt e até levei o equipamento para treinar, mas a realidade é que a paragem de 2 semanas deixou- me desmotivada e sem vontade para retomar os treinos. Ou seja, não consegui treinar nada. Aproveitei apenas para relaxar, aproveitar o sol e a água quentinha das Caraíbas. 

Conclusão: 3 semanas parada! Que desespero! 


Pior ainda é voltar... Começar a correr e sentir que estou tão em baixo de forma, "tão pesada", que o trabalho feito até aqui foi em vão e pior ainda é a pouca vontade de ir correr. Sim, porque a verdade é que nem sempre me apetece correr, muitas vezes vou aos treinos com pouca vontade, mas vou! E depois de o fazer, sabe tão bem. A sensação de dever cumprido, de realização e superação é tão satisfatória. 

É muito importante termos uma rotina de treino e quando essa rotina é quebrada é muito difícil retomar. Como costumo dizer a vida é feita de hábitos, custa começar mas depois de o fazer tudo flui. Por isso não se deixem levar pela inércia, lembrem- se que o que custa é só o começo.   

Comecei a ir ao treino dos 6:00min/km na EUL e na Expo, há imenso tempo que já não acompanhava esses grupos. E o que me custou... Doeu muito, só já pensava no momento em que o treino terminasse. É muito desmotivante sentires que estás a regredir. Mas não sou uma pessoa de baixar os braços, neste caso as pernas (Risos), por isso 'bora lá treinar rumo à maratona. 

A conclusão que retiro deste mês menos bom é que não nos podemos sentir mal quando as coisas não correm como queremos ou planeamos. Temos de pensar positivo. Percalços fazem parte deste processo mas temos que ir à luta e não baixar os braços.

E apesar de ter sido um mês fraco em treinos, consigo tirar coisas positivas deste mês menos bom. É bom sentir que estou de volta, sentir que continuo a gostar de correr (mesmo que devagar). E melhor ainda é voltar a estar junto dos amigos de corrida que tanto me motivam. 

Agora só espero que Julho venha com força e que recupere rápido o tempo que estive parada. 

Continuem a acompanhar- me nas redes sociais e no Strava, onde podem ver todos os meus treinos e novidades.