Maratona de Berlim, a "Majoratona"!


Flashforward da véspera da Maratona

A viagem começou na véspera e com um atraso imprevisto do voo fez com que chegássemos na madrugada de sábado ao hotel e só tivemos mesmo tempo para descansar o suficiente para pouco depois irmos até ao Breakfast Run!

Este aperitivo da maratona consistiu numa corrida de cerca de 6Km, em ritmo tranquilo, e com uma entrada épica no estádio olímpico. O percurso é feito de animação, música e boa-disposição. Eram milhares de pessoas a correr, cantar e a dançar! Maravilhoso! O pequeno-almoço servido aos participantes (aberto a todos, mesmo aqueles que não estavam inscritos na maratona!) incluía bolas de Berlim (com recheio de morango), barritas, iogurtes, águas, bananas, cafés... um buffet de casamento em modo Breakfast Run!

 

Logo a seguir, fomos buscar o nosso Kit da maratona à feira, que ficava situado no antigo aeroporto de Berlim. O espaço era enorme, e a confusão ainda foi maior! O meu conselho é que levantem o vosso dorsal na 6ª feira e não na véspera (como nós!). Na feira, colocaram-nos a pulseira da maratona (só a tiro quando a pulseira, ou o pulso, cair de podridão), e também o dorsal, cenas e coisas de souvenirs e pronto, ficámos de rastos e o importante seria comer "hidratos" e descansar bem.

 

De realçar que na feira, estiveram a promover uma novidade da adidas: os copos reutilizáveis. Um copo com umas meras gramas que vai tentar acabar com o desperdício de copos usados na prova. Confesso que não usei mas, eventualmente, até podia ter dado jeito!


Flashback da Maratona

Foram 4 meses de preparação, alternados com séries longas e rápidas, treinos longos, treinos de recuperação, treinos do Correr Lisboa e ainda algum ginásio, alongamentos e massagens desportivas (obrigado Tiago!). Como fomos os dois à maratona (e por coincidência, estamos casados e temos uma filha pequenita), então o tempo era sempre contado ao segundo e, de forma a conseguirmos conciliar tudo - trabalho, treinos e, o mais importante, a nossa Laurinha - só tivemos de roubar algum (muito!) tempo ao sono! Mas não nos importamos porque quem corre por gosto, não cansa e a verdade é que podíamos ter uma vida mais tranquila e relaxada e ver mais tv e aproveitar mais o sofá... mas "sofá", so good! E isto assim não seria a mesma coisa!

 

Importa também referir que durante a preparação e nos meses mais quentes, a hidratação era bastante importante (muita água e nas vésperas, isotónicos), assim como o calçado. Para longos alternava entre os adidas Adizero Boston e os Solar Boost e para as séries, os Adios. E na maratona, sem dúvida, os adidas Adizero Adios. Escolha mais que acertada!


O dia D - a Maratona!

Eu poderia descrever-vos cada detalhe desta maratona mas acho que vai parecer sempre redutor face aquilo que vivemos. Bem, começando pelo menos positivo... os copos de plástico. Compreendo que comparando com a garrafa, acaba por haver menos desperdício de plástico e, eventualmente de água, mas é muito mais difícil ingerir água em corrida. Se fossem copos de cartão, a técnica seria porventura mais fácil.

De resto, só tenho a salientar pontos positivos. Desde os blocos de partida, com uma partida larga o suficiente para evitar confusões, ao facto de haver WC's e uma pequena floresta (you know what I mean!) antes de entrar para os blocos. Os bengaleiros também estavam bem divididos e à saída foi tudo calmo e sereno. 


Em jeito de resumo, é uma prova plana (à excepção de pequenas subidas que após 30Kms pareciam rampas) e com uma claque de apoio que me fez lembrar a São Silvestre da Amadora, ou melhor, parecia que estava no Tour! Impressionante, inacreditável, minha Nossa Senhora! Em cada aglomerado, sentia uma injecção de adrenalina que me fazia esquecer o cansaço e manter-me mais focado na maratona. Para além de todo este apoio, ainda tive uma claque pessoal, a família Santos que vive na Bélgica e deslocaram-se apenas para nos apoiar (Paulo, Anne-Sophie e a Luísinha) foi incrível vê-los e, ainda para mais, com uma indumentária personalizada de apoio a mim e à Brigitte. Obrigado família!


A maratona tem passagem pelos pontos mais emblemáticos da cidade, tal como a TV Tower, na Avenida Alexanderplatz, mas o mais apetecível e o mais ansioso são as portas de Brandemburgo, em que após alguns metros, vemos a meta! A sensação é indiscritível e é uma emoção que nos arrepia a alma. Eu fiz o meu PBT à maratona com 2:51:01 e a Brigitte com 3:07:29 e assistimos ainda a história, com o queniano Eliud Kipchoge a fazer a melhor marca oficial de sempre numa maratona, com 2:01:39! Parece que a organização da maratona já tinha uma premonição de que isto ia acontecer, dado que numa das faces da medalha já aparecia a cara do Kipchoge!

 

Após terminar a prova, foi recolher pacificamente ao bengaleiro, gravar o tempo na medalha, beber um copos (dois!) de Erdinger e "seize the moment!".

 

O depois da Maratona

Bem, depois há pouco para contar, mas ainda assim, tenho de realçar que ainda conseguimos comprar a t_shirt oficial adidas da maratona e gravaram ainda o tempo nas costas da camisola.

 

Mas o dia ainda não tinha acabado porque à noite houve festança de celebração aos vencedores! A festa foi numa discoteca com convite para todos os que foram à maratona. Era tempo de desanuviar, descontrair e celebrar com os campeões.

Foi uma festa à "Las Vegas style", em que conseguimos ainda tirar umas selfies com os campeões, um pouco antes dos seguranças nos afastarem com elevada educação com a mão... não percebo, se os primeiros não quisessem tirar fotos com os "fãs", podiam apenas começar a correr. Duvido que alguém conseguisse ir atrás deles e tirar selfies!


A todos os que concorreram para a edição de 2019, boa sorte e espero que vivam o mesmo que nós. Eu, Pedro, Brigitte e os vicentes Tiago Pinto (o meu compincha de treinos!), Mariana Silva e o Sérgio Feliciano.

Por fim, obrigado a todos os que nos acompanharam nesta aventura. Família, amigos, Correr Lisboa e treinadores (Armando e Rudi).

Danke Berlin!

 

Fim!